1/5

HÁ MAIS DE UM SÉCULO COM O DOM DE EDUCAR

O Colégio Bittencourt nasceu em 1914, pelo seu fundador  Sr. João Bittencourt, se tornando uma das Instituições de Ensino mais antiga de Campos dos Goytacazes, formando grandes figuras públicas do estado. Hoje, com mais de 100 anos, o Bittencourt vem se inovando cada vez mais, trazendo tecnologia, espaço amplo, cultura, projetos pedagógicos inovadores e professores qualificados para o ensino em vestibulares e cursos técnicos.

CONHEÇA NOSSA ESTRUTURA

NOSSA HISTÓRIA

Na segunda metade do século IX, escandinavos ocuparam a Normandia (Norte da França). Nessa região, em 1362, nasceu Jean de Bettencourt, no Castelo de Grainville (construído em 1098 e destruído por conflitos religiosos em 1580). 

Homem de extrema valentia, em nome do Reino de Castela, futuro território da Espanha, Jean de Bettencourt, iniciou no ano de 1402, a conquista das Ilhas Canárias e impôs o Cristianismo aos Guanches – nativos que, apesar da resistência, foram exterminados.
   Pelo êxito da empreitada, no ano seguinte Jean de Bettencourt  foi proclamado Rei da Canária. 


A partir desse fato histórico, a família Bittencourt se espalhou para a Ilha da Madeira, Portugal e, em seguida, Açores. 
   Em constante expansão, no final do século XVIII, em busca de ouro, alguns Bittencourt se estabeleceram no Brasil (na Província de Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro). Mais tarde, com a chegada da Corte Real portuguesa, 1808, mais membros da família escolheram o Brasil como destino. 


Ainda na primeira metade do século XIX, a partir de notícias sobre grande quantidade de ouro, o casal Francisco José de Oliveira e Maria Genoveva da Purificação Bittencourt chegou à cidade de Cantagalo, Rio de Janeiro (instalou-se na propriedade chamada Barra do Ribeirão Dourado, originando assim, a Fazenda Maravilha). Nessa fazenda, em 27 de setembro de 1895, nasceu o Professor Mario Bittencourt.

A chegada ao século XX mostrou a dedicação da família com a formação educacional de crianças e jovens. Em 1914, dia 11 de junho , o Professor João Bittencourt (Jãojão), no Distrito de Cordeiro, Cantagalo, fundou o Colégio Bittencourt.


   Passados quatro anos, a instituição foi transferida para São Fidélis, que vivia grande atividade comercial e política. 
   Por conta do grande número de alunos, o Colégio Bittencourt ruma em 1921, para os Campos dos Goytacazes e instala-se no Solar Saturnino Braga  (edificação da primeira metade do século XIX), extinta Escola Estadual XV de Novembro.

Após seis anos (1927), por conta de questões financeiras, o Colégio foi vendido à Diocese local. Contudo, três anos depois, mantendo a tradição da família Bittencourt, “uma família de educadores”, os Professores Julio, José e Mario Bittencourt readquiriram a instituição e fundaram um novo Colégio Bittencourt. 

A sede também era nova: o prédio em estilo Neoclássico, construído em 1870, antiga residência do Barão de Miracema foi comprado e se tornou casa definitiva do Colégio Bittencourt. 

O objetivo do Colégio Bittencourt, naquele recomeço, era – e é – educar, cultivar a inteligência, aperfeiçoar o físico e formar o caráter dos alunos. A sociedade abraçou o Colégio e, em 1931, por conta do aumento significativo de alunos, iniciam-se as obras do Pavilhão Alice Bittencourt, inaugurado em 11 de Junho de 1934.

No ano seguinte , em 1935, os Campos dos Goytacazes completou o primeiro centenário da elevação à categoria de Cidade da antiga Villa de São Salvador dos Campos (28 de março de 1835). Comemorando o fato, inaugurou-se o Fórum Nilo Peçanha que serviu de cenário aos alunos do Colégio Bittencourt que participaram naquele ano do desfile cívico de 7 de Setembro.

Na década de 1940, precisamente em 1943, o Colégio Bittencourt propagandeou no Guia de Horários da Estrada de Ferro Leopoldina Railway (página 146), meio de transporte de extrema importância que sofreu processo de privatização  no Governo do Presidente Fernando Henrique Cardoso.

Na década de 1950, precisamente em 1953, o Professor Mario Bittencourt, vivendo na Fazenda Vista Alegre, Santa Maria Madalena, recebeu saudosa e carinhosa carta  (sem remetente) que evidencia seu entusiasmo com a educação.

Em 1973 , por questões burocráticas, criou-se o Centro Educacional Norte Fluminense, mantenedor do Colégio Bittencourt. Presidido pelo Professor Delamar de Moraes Guimarães, a criação da CENF contou com a participação direta de José Costa Bittencourt  – Tio Zezé, como seus sobrinhos o chamava –, médico que sempre esteve presente na trajetória do Colégio Bittencourt avaliando alunos às atividades esportivas e Professor de Ciências Humanas, além de um divertido piadista.

Ao lado de sua esposa, a Professora Maria José Bittencourt Guimarães – filha de Mario Bittencourt – dedicou mais de 50 anos de sua vida ao Colégio Bittencourt mantendo a alta qualidade educacional do Colégio.

Já na década de 1990, passados 61 anos do retorno da posse do Colégio Bittencourt à família, faleceu o grande Professor Mario Bittencourt, no dia 27 de Dezembro de 1991, aos 96 anos.

Em 2014 completamos 100 anos, com novas gerações em um novo mundo da educação. Estamos orgulhosos de continuar seguindo esta jornada, caminhando para os 107 anos.

Nossa grande satisfação é encontrar ex-alunos e ver que o Colégio marcou com conceitos intelectuais, morais e auxiliou no sucesso profissional e importância cidadã dos mesmos.

Hoje, educação com qualidade, modernização, comprometimento da equipe e respeito aos nossos alunos e pais são pilares e a garantia do caminho seguro ao desenvolvimento pleno dos educandos do Colégio Bittencourt.